27 de março de 2010

ARTE RUPESTRE

Postado por célia ferrer às 02:31:00
Reações: 
0 comentários Links para esta postagem
Olá pessoal!
Hoje vamos conhecer um pouquinho, como nossos antepassados da Pré - História faziam arte.
Vamos viajar por um mundo mágico, com muitas teorias e histórias, já que não temos nenhum registro escrito dessa época mesmo, né? ou você esqueceu que há muuuuuuuuuito tempo atrás o homem vivia em cavernas?
Pois é, foi naquela época que o homem criou sua primeira forma de contar histórias. Claro que de forma oral, já que não existia nenhum tipo de escrita, né mesmo? Mas, pensando bem, isso até que tem lógica, pois o homem primitivo não tinha nenhum tipo de divertimento, nem cinema, teatro, televisão, livro, computador... kkkkk, imagina!!!!
É pessoal, eles tinham uma vida um pouco, como posso dizer... difícil? Por isso é bastante provável que eles se reunissem ao redor de uma fogueira para se distrair, conversar e trocar informações.
Não sabemos.

Mas é bem provável que nossos antepassados tenham se manifestado primeiramente pela dança, pois dançar é instintivo, espontâneo. Dançar também é uma forma de se comunicar com a divindade e pode ser que eles dançassem para pedir proteção, para agradecer por uma boa caçada ou só para se divertir, não sabemos, né?
Então embarque nessa nave!

Comece por aqui, depois vá até os vídeos e ...

d I V i R T a - S e ! ! !


A ARTE DA PRÉ-HISTÓRIA

http://static.blogstorage.hi-pi.com/photos/arteonirica.arteblog.com.br/images/gd/1220469225/Arte-Onirica-na-Pre-Historia.jpg

A arte usualmente expressa idéias e emoções que os seres humanos têm, desde tempos bastante remoto
Considera-se que com o aparecimento do hommo sapiens, a arte teve noprincípio uma função ritual e mágico-religiosa, mas esta função mudou através do tempo

Desde o descobrimento das pinturas rupestres paleolíticas nas cavernas de Altamira, Espanha (1879), a arte rupestre tem sido reconhecida como patrimonio cultural que dá luzes sobre o mundo cultural e espiritual dos povosdo passado

Em mais de cem anos de Investigações foram descobertos muitos lugares com gravações e pinturas rupestres, não somente na Europa, mas em praticamenteTodos os continentes

rocksandcaves.jpg


E não só se trata de arte pre-histórica, uma parte considerável destas representações pertencentes a tempos recentes são testemunhos etnográficos dos indígenas.

Em muitos casos, o estudo da arte rupestre tem sido impulsionado, não porarqueólogos, e sim por investigadores aficcionados que se sentiram atraídos pela beleza destes monumentos naturais que se integraram à paisagem

"A arte rupestre é qualquer tipo de manifestação artística plasmada nas paredes rochosas, geralmente no interior das cavernas e grutas ..."




É desconhecido o motivo pelo qual os homens pré-históricos desenhavam nas paredes das caverna. A teoria mais aceita é a que esses desenhos eram feitos por caçadores.

Como num sentido mágico, eles poderiam intervir na captura de um animal,desenhando-o ferido na parede, podendo dessa forma, dominá-lo com facilidade.

Para pintar, o homem produzia suas Próprias tintas misturando terra com carvão, gordura e sangue de animais.

As manifestações artísticas mais antigas foram encontradas na Europa, em especial na Espanha, sul da França e sul da Itália e datam de aproximadamente de 25000a. ... Na França encontramos o maior número de obras pré históricas e até hoje em bom estado de conservação, como as cavernas de Altamira, Lascaux e Castilho.


Arquitetura


Os grupos pré-históricos eram nômades e se deslocavam de acordo com a necessidade de obter alimentos. Durante o período neolítico essa situação sofreu mudanças, desenvolveram-se as primeiras formas de agricultura e consequentemente o grupo humano passou a se fixar por mais tempo em uma mesma região, mas ainda utilizavam-se de abrigos naturais ou fabricados

com fibras vegetais ao mesmo tempo em que passaram a construir monumentos de pedras colossais, que serviam de câmaras mortuárias ou de templos. Raras as construções que serviam de habitação.

Essa pedras pesavam mais de três toneladas, fato que requeria o trabalho de muitos homens e o conhecimento da alavanca.



Ficheiro:Anta Cerqueira em  Couto Esteves.JPG
Dólmen

Esses monumentos de pedras foram denominados "megalíticos" e podem ser classificados de: dólmens, galerias cobertas que possibilitavam o acesso a uma tumba; menires, que são grandes pedras cravadas no chão de forma vertical; e os cromlech, que são menires e dólmens organizados em círculo, sendo o mais famoso o de Stonehenge, na Inglaterra.


stonehenge-xmw-1024

Stonehenge


Também encontramos importantes monumentos megalíticos na Ilha de Malta e Carnac na França, todos eles com funções ritualisticas.


cromeleque de Almendres-Portugal-formado por menires



Escultura

A escultura foi responsável pela elaboração tanto de objetos religiosos quanto de utensílios domésticos, onde encontramos a temática predominante em toda a arte do período, animais e figuras humanas, principalmente figuras femininas, conhecidas como Vênus, caracterizadas pelos grandes seios e ancas largas, são associadas ao culto da fertilidade;

Entre as mais famosas estão a Vênus de Lespugne, encontrada na França, e a Vênus de Willendorf, encontrada na Áustria foram criadas principalmente em pedras calcárias, utilizando-se ferramentas de pedra pontiaguda.

VÊNUS DE WILLENDORF

Durante o período neolítico europeu (5000aC - 3000dC) os grupos humanos já dominavam o fogo e passou a produção de peças de cerâmica, normalmente vasos, decorados com motivos geométricos em sua superfície; somente na idade do bronze a produção da cerâmica alcançou grande desenvolvimento, devido a utilização na armazenagem de água e alimentos



http://www.uned.es/geo-1-historia-antigua-universal/lespugne_dos_28.jpg
VÊNUS DE LESPUGNE




Pintura

As principais manifestações da pintura pré-histórica são encontradas no interior de cavernas, em paredes de pedra e a princípio retratavam cenas envolvendo principalmente animais, homens e mulheres e caçadas, existindo ainda a pintura de símbolos, com significado ainda desconhecido. Essa fase inicial é marcada pela utilização predominantemente do preto e do vermelho e é considerada portanto como naturalista.





No período neolítico a pintura é utilizada como elemento decorativo e retratando as cenas do cotidiano. A qualidade das obras é superior, mostrando um maior grau de abstração e a utilização de outros instrumentos que não as mãos, como espátulas.

Por volta de 2000aC as características da pintura a apresentavam um nível próximo à de formas escritas, preservando porém seu caráter mágico ou religiosos, celebrando a fecundidade ou os objetos de adoração (totens).



http://1.bp.blogspot.com/_nUMwXkkVUiY/SgYkyizKYAI/AAAAAAAABf8/yjpRifyn9H0/s400/pintura+rupestre.1.bmp



17 de março de 2010

ARTE NAIF

Postado por célia ferrer às 16:49:00
Reações: 
1 comentários Links para esta postagem

A INGENUIDADE DO ARTISTA



É a arte da espontaniedade, da criatividade autêntica, do fazer artístico sem escola nem orientação, portanto é instintiva e onde o artista expande seu universo particular. Claro que, como numa arte mais intelectualizada, existem os realmente marcantes e outros nem tanto.

http://classificados.comunidades.net/an_images/15610.jpg

Art naïf (arte ingênua) é o estilo a que pertence a pintura de artistas sem formação sistemática. Trata-se de um tipo de expressão que não se enquadra nos moldes acadêmicos, nem nas tendências modernistas, nem tampouco no conceito de arte popular.



Esse isolamento situa o art naïf numa faixa próxima à da arte infantil, da arte do doente mental e da arte primitiva, sem que, no entanto, se confunda com elas.

http://www.anunico.com.br/fotos/obras_do_artista_naif_rodrigues_lessa_medida_das_obras_30x40_a_s_t-4ad3c22e28d7699db0d690a8e.jpg
Assim, o artista naïf é marcadamente individualista em suas manifestações mais puras, muito embora, mesmo nesses casos, seja quase sempre possível descobrir-lhes a fonte de inspiração na iconografia popular das ilustrações dos velhos livros, das folhinhas suburbanas ou das imagens de santos. Não se trata, portanto, de uma criação totalmente subjetiva, sem nenhuma referência cultural.



O artista naïf não se preocupa em preservar as proporções naturais nem os dados anatômicos corretos das figuras que representa.


Características gerais:

· Composição plana, bidimensional, tende à simetria e a linha é sempre figurativa

· Não existe perspectiva geométrica linear.

· Pinceladas contidas com muitas cores.



ARTE NAÏF BRASILEIRA THAÍS IBAÑEZ - Arte - Coleções - Antigüidades

A pintura naïf se caracteriza pela ausência das técnicas usuais de representação (uso científico da perspectiva, formas convencionais de composição e de utilização das cores) e pela visão ingênua do mundo. As cores brilhantes e alegres - fora dos padrões usuais -, a simplificação dos elementos decorativos, o gosto pela descrição minuciosa, a visão idealizada da natureza e a presença de elementos do universo onírico são alguns dos traços considerados típicos dessa modalidade artística.



http://images.quebarato.com.br/photos/big/A/8/6E53A8_2.jpg


Principal Artista:

Henri Rousseau (1844-1910), homem de pouca instrução geral e quase nenhuma formação em pintura. Em sua primeira exposição foi acusado pela crítica de ignorar regras elementares de desenho, composição e perspectiva, e de empregar as cores de modo arbitrário. Estreou com uma original obra-prima, "Um dia de carnaval", no Salão dos Independentes. Criou exóticas paisagens de selva que lembram tramas de sonho e parecem motivadas pelos sentimentos mais puros. Nos primeiros anos do século XX, após despertar a admiração de Alfred Jarry, Guillaume Apollinaire, Pablo Picasso, Robert Delaunay e outros intelectuais e artistas, seu trabalho foi reconhecido em Paris e posteriormente influenciou o surrealismo.



Soluções da arte naïf são incorporadas a diversas tendências da arte moderna, seja pelo simbolismo (em busca da essência mística das cores), seja pelo pós-impressionismo de Paul Gauguin, que vai para o Taiti em 1891, e faz pesquisas em direção à cultura plástica das chamadas sociedades primitivas, o que se revela no uso de cores vibrantes e na simplificação do desenho como em Ta Ma Tete - Mulheres Taitianas Sentadas num Banco, 1892, e Te Tamari no Atua - Natividade, 1896.


Os trabalhos realizados sob a égide do Blauer Reiter (O Cavaleiro Azul) - grupo do qual participam August Macke (1887 - 1914) e Paul Klee (1879 - 1940) - e a obra de Wassili Kandinsky (1866 - 1944), em defesa da orientação espiritual da arte, também se beneficiam de sugestões da arte naïf.


Se em sua origem essa modalidade é definida como aquela realizada por amadores ou autodidatas, o processo de reconhecimento e legitimação obtidos nos circuitos artísticos leva a que muitos pintores, com formação erudita, façam uso de procedimentos caros aos naïfs.


Além disso, a arte naïf desenha um circuito próprio e conta com museus e galerias especializados em todo o mundo.


No Brasil, especificamente, uma série de artistas aparece diretamente ligada à pintura naïf, como Cardosinho (1861 - 1947), Luís Soares (1875 - 1948), Heitor dos Prazeres (1898 - 1966), José Antônio da Silva (1909 - 1996) e muitos outros.

Entre eles, ganham maior notoriedade: Chico da Silva (1910 - 1985) - menção honrosa na 33a Bienal de Veneza - e Djanira (1914 - 1979). Aluna do Liceu de Artes e Ofícios do Rio de Janeiro, Djanira completa sua formação com aulas de Emeric Marcier (1916 - 1990) e Milton Dacosta (1915 - 1988), seus hóspedes na Pensão Mauá, no bairro de Santa Teresa, no Rio de Janeiro.

Nos anos 1950, ela é artista consagrada e uma das lideranças do Salão Preto e Branco. A arte popular do Nordeste brasileiro - as xilogravuras que acompanham a literatura de cordel e as esculturas de Mestre Vitalino (1909 - 1963) - figura em algumas fontes como exemplos da arte naïf nacional.


14 de março de 2010

Postado por célia ferrer às 12:51:00
Reações: 
1 comentários Links para esta postagem


ATIVIDADE

Atenção galera dos 3º anos!
Dê sua opinião sobre o manguebeat, diga o que você achou da combinação dos rítmos feita por Chico Science.

Para comentar, vá lá no iniciozinho da postagem e clique em comentários ou em links para esta postagem que vai te levar direto pra uma caixinha de postagem de comentários, ok? Ah, lembre-se, você tem que ter uma conta de email do google pra poder postar seu comentário, por isso, se você não tiver email do gmail, crie um, ok?
ou você pode postar como anônimo, para isso não esqueça de clicar em cima do texto que vai aparecer para confirmar o texto que você escreveu quando você mandar enviar tá?

E atenção, essa atividade vale créditos para a avaliação!

MANGUE BEAT

Postado por célia ferrer às 00:17:00
Reações: 
1 comentários Links para esta postagem

O RÍTMO DOS MANGUEZAIS


Movimento musical surgido na cidade de Recife, no começo dos anos 90, quando bandas como Chico Science & Nação Zumbi e Mundo Livre S/A decidiram misturar a música pop internacional de ponta (o rap, as várias vertentes eletrônicas e o rock neopsicodélico inglês) aos gêneros tradicionais da música de Pernambuco (maracatu, coco, ciranda, caboclinho etc.).

Originalmente chamado de Mangue Bit (bit entendido como unidade de memória dos computadores), o movimento teve seu primeiro manifesto, Caranguejos com Cérebro, escrito pelo ex-punk Fred 04 (do Mundo Livre) e Renato L, publicado pela imprensa local em 1992. "Imagem símbolo: uma antena parabólica enfiada na lama. Ou um caranguejo remixando Anthena, do Kraftwerk, no computador", explicavam.

O "núcleo de pesquisa e produção de idéias pop" articulado por essa juventude recifense tinha como objetivo "engendrar um circuito energético, capaz de conectar as boas vibrações dos mangues com a rede mundial de circulação de conceitos pop".
Surgia a denominação de "mangueboys e manguegirls". "(...) São indivíduos interessados em: quadrinhos, TV interativa, antipsiquiatra, Bezerra da Silva, hip hop, midiotia, artismo, música de rua, John Coltrane, acaso, sexo não-virtual, conflitos étnicos e todos os avanços da química aplicada no terreno da alteração e expansão da consciência", dizia o manifesto.

No começo dos anos 80, Chico Science (ou melhor, Francisco França) era integrantes da Legião Hip Hop, equipe de dança de rua que imitava os breakers americanos. Com o guitarrista Lúcio Maia e Alexandre Dengue, participou do grupo de rock pós-punk Loustal. Da fusão do Loustal com o bloco de samba-reggae Lamento Negro, surgiu no começo dos anos 90 a Nação Zumbi, que estreou nos palcos de Recife em junho de 91. A Soparia de Roger (citado por Chico Science na música Macô)e o bar Arte Viva, em Boa Viagem, acolheram as primeiras manifestações dos mangueboys.

Mangue na mídia
Propagada por Chico e pelo Mundo Livre, logo a batida do Mangue (Mangue Beat) estaria chegando ao Sudeste, onde, depois de algumas entusiasmadas reportagens em jornais, as principais gravadoras do país se interessaram por aquela novidade vinda de uma cidade nordestina de forte tradição musical que quase duas décadas antes havia revelado seu último grande produto pop: Alceu Valença. A Sony contratou Chico e a Nação Zumbi e o selo Banguela Discos (dos Titãs) ficou com o Mundo Livre.

Em 1993, seriam lançados, respectivamente, seus discos de estréia, Da Lama ao Caos e Samba Esquema Noise (título que logo denunciou a influência de Jorge Ben – seu disco de estréia se chamou Samba Esquema Novo – sofrida pelo Mundo). Com as músicas A Cidade e A Praieira, bem-engendradas fusões de rap com maracatu, a Nação saiu à frente em termos de reconhecimento popular – isso, apesar de os dois discos terem sido igualmente muito bem recebidos pela crítica musical de todo o país.

No rastro da duas bandas, vieram outros grupos de Recife dedicados às misturas do pop com a música regional: Jorge Cabeleira e o Dia em Que Seremos Todos Inúteis, Mestre Ambrósio, Cascabulho, Sheik Tosado. Houve outras, porém mais tradicionalmente roqueiras, como Devotos do Ódio (banda punk da favela de Alto José do Pinho), Querosene Jacaré e Eddie, e algumas filiadas ao rap, como o Faces do Subúrbio (também do Alto) e Sistema X.

O Abril Pro Rock, festival anual que inicialmente se restringia à cena de Recife, aos poucos abriu seu espaço para bandas (principalmente as novas) de todo o país, acabando por se tornar o mais importante evento da nova música pop do Brasil. Paralelamente à cena mangue, Recife também viu o cinema ganhar fôlego, com produções como o Baile Perfumado, dos diretores Paulo Caldas e Lírio Ferreira, que teve trilha sonora feita por Chico e o Nação, Fred 04, Mestre Ambrósio, entre outros.





Caranguejos chegam à Europa

Destaque absoluto da cena de Recife, Chico Science & Nação Zumbi ganharam o país e embarcaram em 1995 numa bem-sucedida turnê européia ao lado os Paralamas do Sucesso – em alguns shows, foram até a atração principal. Em 1996, lançaram sua obra-prima, o disco Afrociberdelia, em que o maracatu da banda ficou mais eletrônico e internacional, com participações especiais de artistas como Gilberto Gil, que gravou na faixa Macô. O primeiro sucesso do disco, Maracatu Atômico (de Jorge Mautner e Nelson Jacobina) fazia outra ligação com a geração anterior da MPB.

Meses depois, no dia 2 de fevereiro de 1997, Chico morreu num acidente de carro em Recife, deixando órfã toda uma geração de mangueboys e manguegirls. Alguns apostaram que seria o fim desse movimento, freqüentemente comparado ao Tropicalismo. Mas os artistas do Mangue Beat procuraram outros caminhos dentro da diversidade. Aparaceram trabalhos elogiados como o do ex-percussionista do Mundo Livre Otto (Samba pra Burro, eleito o melhor disco de 1998 pela Associação Paulista dos Criticos de Arte), do DJ Dolores e da cantora e tecladista Stella Campos.


Músicas

Computadores Fazem Arte – Chico Science & Nação Zumbi
Rios, Pontes e Overdrives – Chico Science & Nação Zumbi
A Cidade – Chico Science & Nação Zumbi
Macô – Chico Science & Nação Zumbi
Maracatu Atômico – Chico Science & Nação Zumbi
Livre Iniciativa – Mundo Livre S/A
Quem Tem Bit Tem Tudo – Mundo Livre S/A
Punk Rock Hardcore Lá no Alto Zé do Pinho – Devotos do Ódio
Se Zé Limeira Sambasse Maracatu – Mestre Ambrósio


12 de março de 2010

O RENASCER DA ARTE

Postado por célia ferrer às 21:29:00
Reações: 
0 comentários Links para esta postagem

 O Renascimento na Itália

O termo Renascimento é comumente aplicado à civilização européia que se desenvolveu entre 1300 e 1650. Ele sugere que, a partir do século XIV, teria havido na Europa um súbito reviver dos ideais da cul­tura greco-romana. Mas na verdade foi um momento da História muito mais amplo e complexo onde ocorreram muitos progressos e incontáveis rea­lizações no campo das artes, da literatura e das ciências, que superaram a herança clássica. O ideal do humanismo foi sem dúvida o móvel desse progresso e tornou-se o próprio espírito do Renascimento. Num senti­do amplo, esse ideal pode ser entendido como avalorização do homem e da natureza, em oposição ao divino e ao sobrenatural , conceitos que haviam impregnado a cultura da Idade Media.


Características gerais:

* Racionalidade
* Dignidade do Ser Humano
* Rigor Científico
* Ideal Humanista
* Reutilização das artes greco-romana



ARQUITETURA

Na arquitetura renascentista, a ocupação do espaço pelo edifício baseia-se em relações matemáticas estabelecidas de tal forma que o observador possa compreender a lei que o organiza, de qualquer ponto em que se coloque.

“Já não é o edifício que possui o homem, mas este que, aprendendo a lei simples do espaço, possui o segredo do edifício” (Bruno Zevi, Saber Ver a Arquitetura)



Principais características:

* Ordens Arquitetônicas
* Arcos de Volta-Perfeita
* Simplicidade na construção
* A escultura e a pintura se desprendem da arquitetura e passam a ser autônomas
* Construções; palácios, igrejas, vilas (casa de descanso fora da cidade), fortalezas (funções militares)


O principal arquiteto renascentista:

Brunelleschi

- é um exemplo de artista completo renascentista, pois foi pintor, escultor e arquiteto. Além de dominar conhecimentos de Matemática, Geometria e de ser grande conhecedor da poesia de Dante. Foi como construtor, porém, que realizou seus mais importantes trabalhos, entre eles a cúpula da catedral de Florença e a Capela Pazzi.


cúpula da Catedral de Florença


https://fnnpea.bay.livefilestore.com/y1mJzIi_QqAkFQ4fC1_HeZyqfHETItODuCUU6GJKzc9cC308vlqgLo1PEqRD4uUMAiBXjEvnUAkwONIlhDeVkqpEMES_U8Akwdl_LeyJQZMvfNroY3SddHCYUolsmrfvNtI_fvuJA1q8Cvkr4yVeffs1w/Filippo%20Brunelleschi%20-%20Capela%20Pazzi%20-%20Floren%C3%A7a%20-%20It%C3%A1lia%20-%201429-1461%20-%20Renascimento.jpg
Capela Pazzi


PINTURA

Principais características:

* Perspectiva: arte de figura, no desenho ou pintura, as diversas distâncias e proporções que têm entre si os objetos vistos à distância, segundo os princípios da matemática e da geometria.

* Uso do claro-escuro: pintar algumas áreas iluminadas e outras na sombra, esse jogo de contrastes reforça a sugestão de volume dos corpos.

* Realismo: o artistas do Renascimento não vê mais o homem como simples observador do mundo que expressa a grandeza de Deus, mas como a expressão mais grandiosa do próprio Deus. E o mundo é pensado como uma realidade a ser compreendida cientificamente, e não apenas admirada.

* Inicia-se o uso da tela e da tinta à óleo.

* Tanto a pintura como a escultura que antes apareciam quase que exclusivamente como detalhes de obras arquitetônicas, tornam-se manifestações independentes.

* Surgimento de artistas com um estilo pessoal, diferente dos demais, já que o período é marcado pelo ideal de liberdade e, conseqüentemente, pelo individualismo.

Os principais pintores foram:

Botticelli

- os temas de seus quadros foram escolhidos segundo a possibilidade que lhe proporcionavam de expressar seu ideal de beleza. Para ele, a beleza estava associada ao ideal cristão. Por isso, as figuras humanas de seus quadros são belas porque manifestam a graça divina, e, ao mesmo tempo, melancólicas porque supõem que perderam esse dom de Deus.
Obras destacadas: A Primavera e O Nascimento de Vênus.


Primavera



O Nascimento de Vénus


Leonardo da Vinci




Virgem dos Rochedos



Monalisa


Michelângelo

- entre 1508 e 1512 trabalhou na pintura do teto da Capela Sistina, no Vaticano. Para essa capela, concebeu e realizou grande número de cenas do Antigo Testamento. Dentre tantas que expressam a genialidade do artista, uma particularmente representativa é a criação do homem.
Obras destacadas: Teto da Capela Sistina e a Sagrada Família


A Sagrada Família



Teto da Capela Sistina


Rafael

- suas obras comunicam ao observador um sentimento de ordem e segurança, pois os elementos que compõem seus quadros são dispostos em espaços amplo, claros e de acordo com uma simetria equilibrada. Foi considerado grande pintor de “Madonas”.
Obras destacadas: A Escola de Atenas e Madona da Manhã.



Madona do Prado



Escola de Atenas




ESCULTURA

Em meados do século XV, com a volta dos papas de Avinhão para Roma, esta adquire o seu prestígio. Protetores das artes, os papas deixam o palácio de Latrão e passam a residir no Vaticano. Ali, grandes escultores se revelam, o maior dos quais é Michelângelo, que domina toda a escultura italiana do século XVI. Algumas obras: Moisés, Davi (4,10m) e Pietá.


La Pietá


http://stoa.usp.br/sady/files/-1/9772/renascultural4.jpg
Moisés


Davi




Davi


Principais Características:

* Buscavam representar o homem tal como ele é na realidade
* Proporção da figura mantendo a sua relação com a realidade
* Profundidade e perspectiva
* Estudo do corpo e do caráter humano


O Renascimento Italiano se espalha pela Europa, trazendo novos artistas que nacionalizaram as idéias italianas. São eles:

* Dürer * Hans Holbein
* Bosch * Bruegel



Para seu conhecimento


- A Capela Sistina foi construída por ordem de Sisto IV (retangular 40 x 13 x 20 altura). E é na própria Capela que se faz o Conclave: reunião com os cardeais após a morte do Papa para proceder a eleição do próximo. Lareira que produz fumaça negra - que o Papa ainda não foi escolhido; fumaça branca - que o Papa acaba de ser escolhido, avisa o povo na Praça de São Pedro, no Vaticano

- Michelângelo dominou a escultura e o desenho do corpo humano maravilhosamente bem, pois tendo dissecado cadáveres por muito tempo, assim como Leonardo da Vinci, sabia exatamente a posição de cada músculo, cada tendão, cada veia.

- Além de pintor, Leonardo da Vinci, foi grande inventor. Dentre as suas invenções estão: “Parafuso Aéreo”, primitiva versão do helicóptero, a ponte elevadiça, o escafandro, um modelo de asa-delta, etc.

- Quando deparamos com o quadro da famosa MONALISA não conseguimos desgrudar os olhos do seu olhar, parece que ele nos persegue.

Por que acontece isso? Será que seus olhos podem se mexer? Este quadro foi pintado, pelo famoso artista e inventor italiano Leonardo da Vinci (1452-1519) e qual será o truque que ele usou para dar esse efeito?

Quando se pinta uma pessoa olhando para a frente (olhando diretamente para o espectador) tem-se a impressão que o personagem do quadro fixa seu olhar em todos. Isso acontece porque os quadros são lisos. Se olharmos para a Monalisa de um ou de outro lado estaremos vendo-a sempre com os olhos e a ponta do nariz para a frente e não poderemos ver o lado do seu rosto. Aí está o truque em qualquer ângulo que se olhe a Monalisa a veremos sempre de frente.



Aprofundando seu conhecimento

Como complemento do seu estudo, faça uma pesquisa mais aprofundada sobre a Arte no Renascimento. Procure saber mais, por exemplo, sobre alguns pintores importantes como:

* Masaccio (1401-1429)
* Fra Angélico (1387-1455)
* Jan Van Eyck (1390-1441)
* Piero della Francesca (1410-1492)
* Bosch (1450-1516)
* Albert Dürer (1471-1528)
* Ticiano (1490-1576)
* Giotto de Bondone (1266-1337)

Pesquise também sobre o estilo Maneirismo e o Renascimento fora da Itália .

Leve suas dúvidas para a sala de aula para que possamos discuti-las ou poste-a nos comentários, ok?


ARTE RUPESTRE/PE

Postado por célia ferrer às 15:04:00
Reações: 
1 comentários Links para esta postagem
PERNAMBUCO TEM PRÉ - HISTÓRIA SIM, SINHÔ!

Vale do Catimbau - Buíque/PE



O Parque Nacional da Serra do Catimbau. Antigo Vale do Catimbau, foi criado em dezembro de 2002, no estado de Pernambuco. Entre o Agreste e o Sertão pernambucano, o parque é o segundo do estado .O primeiro é o de Fernando de Noronha. Catimbau preserva um das últimas áreas de Caatinga . Considerada Área de Extrema Importância Biológica, a unidade apresenta também registros de pinturas rupestres e artefatos da ocupação pré-histórica datados de pelo menos 6000 anos. Os pesquisadores acharam 30 sítios arqueológicos no Vale do Catimbau. Com isso, o Catimbau é considerado o segundo maior parque arqueológico do Brasil, perdendo somente para a Serra da Capivara, no Piauí.




Visitamos o Vale do Catimbau e foi emocionante ver pinturas feitas por homens pré-históricos, assim, tão de pertinho !!!

o SOL estava suuuuuuuuuper quente !!!! mas a gente nem sentiu !!!














Aí... na vOlta, encontramos esse curioso museu no meio da caatinga. Pois é, trata-se da residência e atelier desse simpático Sr., que faz esculturas aproveitando as formas sugeridas pelas raízes e galhos.

MuITo inTErEsSanTe!!!!










Serra das Letras - Salgueiro / PE



Serra que possui na sua base Gravuras rupestres, petroglifos denominados de Itaquatiaras, encontradas no leito rochoso situado na base da encosta oeste da serra das Letras. Área dominada por vegetação de catinga arbustiva, ocorrendo bromeleáceas e cactáceas espaçadas. Pode-se encontrar no local, duas grutas onde em uma delas há indícios de que ali teria sido habitado por povos primitivos da região.





Morei nessa região tanto tempo e nunca suspeitei que estivesse tão perto da Pré - história assim!



Quase que por acaso descobri que Salgueiro tinha váaaaaaaaaaaaaarios sítios arqueológicos, e como era de se esperar, fiquei doidinha pra conhecer, né? Pois é, melhor ainda, foi achar durante uma caminhada, um objeto desses, que segundo nosso guia CANTARELLI, é uma Machadinha e tem pelo menos uns 6,000 (seis mil) anos !!!


Machadinha pré-histórica encontrada durante caminhada na Serra das letras


Eu e Rahíssa, segurando a "famosa" machadinha


l E g A l n É ? ?? ? ?


 

ArtE.cOM Copyright © 2010 Designed by Ipietoon Blogger Template Customizado por Layout para Blog